sexta-feira, 10 de novembro de 2017

CRISTO NA BÍBLIA - 1ª PEDRO (CRISTO, O REDENTOR DA IGREJA)

CRISTO NA BÍBLIA   (Pr. Eudes)

                       1ª PEDRO  -  CRISTO, O REDENTOR DA IGREJA

Pedro foi um dos três apóstolos mais achegados a Cristo (Pedro, Tiago e João). Era um pescador e tinha uma sociedade pesqueira com Tiago e João, filhos de Zebedeu. Como apóstolo achegado a Cristo, Pedro presenciou, juntamente com os filhos de Zebedeu, acontecimentos na vida de Jesus que os outros não presenciaram: A ressurreição da filha de Jairo, a transfiguração de Jesus no monte, e a agonia mais intensa de Jesus no Getsêmani. Pedro escreveu duas cartas canônicas (1ª e 2ª Pedro) aos irmãos dispersos pelo mundo de então. Na sua primeira carta, ele anima os irmãos em Cristo que estavam sofrendo perseguição por causa da fé em Cristo bem como na perspectiva do martírio, e para isso apresenta Cristo como o exemplo de paciência diante da perseguição e do sofrimento. Nessa carta, Pedro revela que, mesmo estando espalhados na Ásia Menor, eles constituíam o povo de propriedade exclusiva de Deus, nação santa e geração eleita, e anima-os a proclamarem as virtudes de nosso Senhor Jesus Cristo. Esse povo fora resgatado da sua vã maneira de viver pelo sangue do Cordeiro derramado na cruz do Calvário. “Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado, o qual, na verdade, em outro tempo, foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado, nestes últimos tempos, por amor de vós”. 1 Pe 1.18-20. O homem nasce escravizado pelo pecado e vive sob o seu domínio. Cristo se manifestou para libertar o homem da escravidão do pecado e para isso ofereceu a sua preciosa vida em sacrifício pelos pecados do seu povo. Com a sua morte na cruz, Cristo resgatou da escravidão do pecado os que creem nele. Jesus é o grande redentor. O preço que pagou para nos libertar da escravidão (domínio do pecado), foi o seu precioso sangue derramado na cruz. “Aquele que nos ama, e em seu sangue nos lavou dos nossos peados” Ap 1.5. Paulo corrobora as palavras de Pedro, quando disse: “Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça” Ef 1.7. (Leia ainda Cl 1.13,14).  
Pr. Eudes Lopes Cavalcanti    

PREGAÇÃO PASTOR EUDES - 05/11/17 - OS PONTOS CENTRAIS DA REFORMA OS CINCO SOLAS

sábado, 4 de novembro de 2017

CRISTO NA BÍBLIA - TIAGO (CRISTO, O SENHOR DA GLÓRIA)

CRISTO NA BÍBLIA   (Pr. Eudes)
                         TIAGO  -  CRISTO, O SENHOR DA GLÓRIA
 Tiago, irmão do Senhor e pastor da Igreja em Jerusalém escreveu o livro canônico que leva o seu nome. Ele escreveu aos judeus crentes espalhados no mundo de então, visando encorajá-los a enfrentar as várias provações que estavam pondo aqueles irmãos à prova. Essa carta também foi escrita para corrigir ideias erradas acerca da natureza da fé cristã bem como para instruí-los sobre o resultado prático de uma fé genuína em Cristo. A carta de Tiago trata de diversos temas relacionados à vida cristã, como por exemplo: suportar com alegria as tribulações; resistir às tentações; praticar a Palavra de Deus; o valor de uma fé viva; o cuidado com a língua; o cuidado com a sabedoria humana à parte da divina; administrar as riquezas; o valor e o poder da oração, etc. Por causa de sua ênfase na questão do bom proceder, a carta de Tiago é comparada ao livro de Provérbios, pois ambos espelham o caráter de um verdadeiro cristão, tendo Cristo como o paradigma de uma vida que agrada a Deus. Essa carta ainda é comparada ao livro de Amós por causa de sua ênfase em questões sociais. A carta de Tiago faz quinze referências ao Sermão do Monte, proferido pelo Senhor Jesus Cristo no início do seu ministério, e registrado por Mateus e Lucas. Quanto à Cristologia, Tiago enfatiza a Jesus como o Senhor da glória, Deus glorioso, único objeto da fé salvadora. Ele faz essa citação quando advertia aos seus leitores sobre a questão de não se fazer acepção de pessoas, especialmente dentro da Igreja, discriminando-as por causa de suas posições sociais (Tg 2.1-13). Tiago ainda fala sobre a segunda vinda do Senhor e encoraja a Igreja a esperar com paciência esse grande e glorioso dia. É bom lembrar que a segunda vinda do Senhor é um dos eventos mais bem documentado de todo o Novo Testamento. A exceção de Filemom, 2 e 3 João, os outros livros tratam do assunto, direta ou indiretamente. Tiago também enfatiza a Cristo como o grande Juiz do Universo que está à porta. Sabemos pelas Escrituras que ao Senhor Jesus foi entregue todo o julgamento (Jo 5.22). Jesus hoje é o advogado de todo aquele que nele crê e o aceita como Salvador e Senhor. Quando de sua segunda vinda, Ele será o grande Juiz do universo diante de quem todos comparecerão, no devido tempo, para dar conta de sua mordomia. Dado a gravidade do assunto, Tiago exorta aos leitores a viver uma vida sem queixas nem contendas, pois o Juiz está à porta (Tg 5.9).
Pr. Eudes Lopes Cavalcanti