quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

APOCALIPSE - CRISTO, O ALFA E O ÔMEGA

CRISTO NA BÍBLIA   (Pr. Eudes)

APOCALIPSE -  CRISTO, O ALFA E O ÔMEGA

O livro de Apocalipse foi escrito pelo apóstolo João no final de sua vida. Esse livro foi escrito num estilo literário conhecido como linguagem apocalíptica, onde a mensagem é apresentada através de símbolos, visões, profecias, figuras de linguagem, etc. Ele foi escrito para consolar a Igreja de Cristo que estava sofrendo perseguições pelo império romano que, na época, o imperador (César) reivindicava adoração como se Deus fosse. Isso era inaceitável para a Igreja que só tinha como objeto de adoração o Deus triúno. Alguns teólogos reformados veem esse livro como algo muito esmerado, que conta a história da Igreja (o mesmo período) sete vezes, desde a primeira vinda de Cristo até a consumação que se dará na sua Segunda Vinda, sendo que nessas sete seções os acontecimentos vão sendo revelados numa ordem crescente até chegar a sua consumação ou ao seu clímax. O número sete, nesse livro, ocupa papel preponderante, significando ele a coisa completa, em sua plenitude (sete igrejas, sete anjos, sete espíritos, sete selos, sete trombetas, sete taças, etc). Assim sendo, por exemplo, o livro foi destinado a sete da Ásia Menor da época, mas é para toda a Igreja do Senhor em todas as épocas e em todos os lugares. O Senhor Jesus no Apocalipse é revelado logo no capitulo um como o Supremo Juiz do universo. Nos capítulos dois e três ele é revelado como Deus onipresente e soberano Senhor que domina sobre a Igreja e anda no meio dela. No capítulo cinco ele é revelado como o único digno de abrir o livro e desatar os seus sete selos, ou seja, ditar o ritmo da história, pois foi morto e com o seu sangue comprou para Deus o Pai, pessoas de todas as tribos, línguas, povos e nações e as fez reis e sacerdotes espirituais. No capitulo seis é Jesus quem controla a história com a abertura dos selos. Ele é revelado também nesse livro como o Filho varão que vai reger a terra. O capitulo dezenove, explicitamente, fala sobre a Segunda Vinda do Senhor Jesus acompanhado pelos seus anjos para punir os inimigos da Igreja (o dragão e as duas bestas) e dar a Igreja um final feliz. Ele ainda é revelado como o Alfa e Ômega (a primeira e a última letra do alfabeto grego), como o Princípio e o Fim, ou seja, tudo é dEle, é por Ele e para Ele, glória, pois, eternamente a Ele.
Pr. Eudes Lopes Cavalcanti 

Nenhum comentário: